Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2016

Carros e deleites

Quando a tarde de sábado chegava, eu e meus três colegas, parávamos tudo pra dedicação exclusiva à eles. Eram cerca de cinco horas, do almoço a noite, lavando, secando e dando retoques nas máquinas, com suas qualidades e imperfeições. O mais notável nessa memória após ver um programa de televisão que 'falava' sobre carros antigos, era lembrar que quando dávamos uma volta de carro no bairro ao lado, , alguns 'caras' com carros mais 'afinados', rebaixados, 'mexidos', e incrementados, ficavam reunidos, conversando e de tempos em tempos, aproximavam-se dos seus veículos, ou 'mimos'. Daí era um verdadeiro imã, pros nossos olhos, observam o que aqueles dois caras fariam próximo as rodas, do motor, e caso o fato fosse desenrolado hoje, tendo eu coo protagonista e não coo observador, teria que parar no meio do caminho até o veículo para dar uma sorrateira risada. Seria sorrateira?

Nova aldeia sabotada

Fatos que revelam ou desvelam, qual seja o verbo, sobre população miserável, corrupção e homicídios, parecem ser vistos no país como substãncias que sempre desaparecem, dado o caráter midiático de ineditismo com que são repetidos todos os dias em nossa aldeia.

Quem lembra?

Quem lembra o sentimento da Copa do Mundo de 2014, no jogo contra o Chile. O jogo estava meio engasgado e escrevi no segundo tempo: Sobre futebol... Escrever não é fácil porém, mais controlável que falar, certamente. Não é o caso de criticar comentaristas, por se tratar de analisar o futebol, ou de nos atermos a questões históricas, mas sim de apontar nesse jogo da Copa do Brasil, entre nosso país eo Chile, os detalhes que podiam implicar em uma vitória. Mas,.. espere, vejamos: Ah, sim, um português e um espanhol, - latinos sobretudo, doravante em outra terra.

Futebol de época

Estamos em 2016, e como tenho mais de 40 anos, dá pra ter uma idéia de quando comecei a acompanhar a tradição futebolística do nosso país. Vivi intensamente a Copa do Mundo de 1982 e a fase áurea do Flamengo. Não dava muita atenção a bola, que era preta e branca nesta época. Lembro dos inúmeros placares que o Flamengo aplicava sobre o Bangu e o América, nos idos de 80 do Campeonato Estadual. Também lembro dos chutes indefensáveis para os goleiros de Roberto Dinamite e seu futebol 'navalha'. Tudo bem que ele tinha bons companheiros os quais não lembro (sinc!), mas pretendo me informar., com todo respeito. Aliás meu amigo e vizinho de muro na infância tinha um pai que além de ser delegado era vascaíno, por aí dá pra ter uma idéia. Será que o Vasco é um time tradicionalmente de policiais civis? Fica a indagação. Podía dividir os torcedores do meu bairro de infância entre os grandes do Rio, tendo mais representantes para o Flamengo e o Vasco, com Fluminense e Botafogo logo atrás. …

8 espasmos.

Crise, seca, solidão: escassez. Fora a falta, a riqueza do som; da palavra, mas a falta tende a dissolver tudo: o amor, quando o dinheiro não entra pela porta. E se o dinheiro falta, faltam os amigos, o amor, só fica o cão. Talvez por isso o cão...tem sido tão útil ultimamente. Cacofonia, pobreza cerebral, temos visto muito. A palavra causa guerra, onde até quem se aversa ao sangue e a estancada, versa com faca seus gestos. Apreensão temporal constante. Falta de cumplicidade, desejos de diferença que se abissam. Força do tempo que se apoeta e coloca cada um, a domar um animal preguiçoso. Só a sorte mede esforço quando sai de casa para passear, Pois se coisas boas acontecem sem avisar, vamos deixar a porta aberta e a faca guardada em seu lugar na gaveta. Ignorância é arma de corte quando uma bpa palavra resolveria. O amor é doce quando dado a boca que por mel implora. Corpo com amor é uma casa de abelha. Mesmo que de uma abelha apenas.

Dicotômicos, e herméticos.

Talvez, mesmo com os olhos abertos, nós brasileiros, não estamos enxergando o que acontece em nosso país, onde em um verdadeiro clássico futebolístico, somos dicotômicos. Há pouco mais de treze anos, o Partido dos Trabalhadores ganhou as eleições do poder executivo de forma legal, em oposição a uma política cunhada de direita dita pelos opositores conservadora, viciada e que beneficiava um modo de operação, digamos, clássico na condução de uma nação. Podemos tomar como imagem, uma monarquia, com seus reis e seus bobos da corte. Pois então : passados mais de uma década, agora ouço0 uma panela sendo batida, fogos de artifício sendo acesos e uma atmosfera dúbia, onde não sabemos decifrar o que é populismo, socialismo, corrupção e verdade. Acaba de sair no senado a aceitação e a devida suspensão da presidenta em sua condução ao impeachment. O impeachment da presidenta entrou em apreciação no senado e afora uma política fisiologista, estamos soltos como um cavalo sem cela, e postos no prat…

Beleza feia

Era uma coisa quase assustadora, se não fosse comum aquele lugar para mim. Aquele trecho da avenida central da cidade era a minha relação mais rápida com ela. Bas tava acordar e ao ir à padaria já estava nela; atravessando suas duas vias e vivendo por alguns segundos a eminência de ser atropelado e ir para o outro mundo. Sim, o mais moderno naquela época eram os carros. Mas dessa vez estava em meio a uma passeata, não era uma festa. Das três faixas que levavam para o centro, duas eram uma espécie de carnaval. Inventei então de vender cerveja, no meio do ‘percurso de Borges’ e ouvi ‘onde está o dinheiro’, de um conviva ao qual pensava em uma parceria. Como um nocaute, a frase atravessou-me e andei pela passeata e me vi subindo na carona de uma camionete junto com um outro, e fomos de carona andar pro onde não sei. Proseei um pouco, olhei pra quem dirigia e ao sentir que a camionete fazia um barulho a mais, fiz um sinal, vi um grupo de larápios ao lado, mas desci assim mesmo. Pedi p…

Quem é quem?

Quem é quem? O homem a ser batido foi o homem que bateu, ou melhor, quem foi impedida, impede o homem que a impediu. Por um detalhe apenas, receber dividendos para uso próprio, crime chamado de peculato às vezes, corrupção em outras; mas há quem diga que crimes a parte o que feriu mesmo foi uma traição um rompimento, eram todos do mesmo lado até que por um descuido – depois dos possíveis crimes é claro foi e é importante que se diga, iniciado o processo de interrupção do mandato de presidente. Concomitantemente, falam por aí que a presidente falhou em rebolar no baile, rompeu com seus partiners e perdendo fama de rainha do baile, sobrou brilho para o ciceroner da festa. Ele desarticulou e se articulou até que surgiu a idéia durante o wisky : vamos a presidência? No barato sou vice. Tirados de campo e agora repostos, sob a prerrogativa da inocência; e se ela não compactuou com a corrupção na Petrobrás e se ele não vinha recebendo seus devidos subornos , já que mais de 60% de nossos …

Lado B

Um erro talvez E agora? O cigarro acabou e agora? E agora, sem dinheiro, e agora? Só nos resta o que temos. Só nos resta a atitude, fazer o que tem que ser feito, dar ‘luz’ a ação e resolver essa ‘pendenga’. Mais um desdobrar-se e mais uma ‘desembolada’, pra não dizer, impensada atitude. Sem pensar, isso quer dizer impensada. Fazer algo pelo ímpeto, no impulso, mas não tão impulso assim, pois a cena irá desenrolar-se. E lá se vão os detalhes mais caros, algo que define algo próprio, onde Deus está – dirá alguém. Mas se é por princípio, por meio, e por fim, faço e empurro a bola de neve até ela derreter-se ao sol. Mas preciso levá-la ao Sol, e ela está longe. Distanciada pelos ponteiros, uma malfadada ação desdobra-se em ação-conserto. Ela deve ter a precisão temporal, a que nem todos estão por aceitar. Aceitar, a sincronicidade das coisas, esse belo é invisível balé que envolve a todos. Sim, nada é por acaso. Ou o é?

La selvita

Precoce julgamento ou a ausência política Quando vejo esse debate sem fim sobre o executivo, no fundo o que mais me admira é a capacidade jurídica de argumentar a favor ou contra uma parte ou outra. É impressionante o lado plausível de certos conceitos criados por renomados juristas e acabo por compará-los a jornalistas com grande poder de persuasão quando produzem opinião de forma corajosamente parcial. Podemos acreditar que houve crime de responsabilidade de forma dolosa (olha eu arriscando!) ou podemos chegar a lembrar da ditadura, para quem a estuda na superfície, sabe que ela chegou suavemente. Depois de passar pela Câmara dos Deputados de forma desastrosa, como foi noticiado ineditamente nos meios de comunicação, estamos no Senado e agora se conhece através de especialistas convidados, um lado mais sofisticado da argumentação, quando defesa e acusação - respectivamente aliados e o partido liderado hoje pelo partido do vice-presidente, - tentam arrebanhar e garantir a votação n…