sábado, 11 de março de 2017

Cor e espessura.

Eu já fui ao inferno e conheço sua espessura. Tédio, eis sua cor.

Escuro

Péssimo erro: não escolher intuitivamente seu personagem, avatar, sua personalidade, imagem&conteúdo. Infelizmente escolha feita perante o rolar dos dados e revólveres na Rússia. Por isso clame aos deuses do cinema e 'esqueça' aquele 'papel' de moçoila boa que adora o sonho dá padaria ao lado de casa.

O engasgar dá máquina geracional.

Havia uma pedra e havia o céu. Eles continuam ali hoje. Meu avô se foi. Junto a fumaça dos cigarros e dos gravetos de bambu fiados com caco de vidro e que depois eram enfiados em madeira mole com uma espécie de miolo dentro. Ele fazia gaiolas. Meu pai a época tinha um Opala 6 faróis e ali entre as plantas dá minha avó o gigante entrava. Passava tardes jogando fumaça ao vento. Os ventos não eram os mesmos. Fazia natação e há tempos dispensara bóias. Aquelas de braço. Cachaça, bigode, risos e voz forte. Pernas agarrinchadas. Aí que ele me vem em um domingo sorrateiro, ele o domingo. Ele vem com duas bolas. Eram cabaças. Pra não me afogar no rio do tempo.

Pleonasmo viral

Tem alguma coisa estranha. Com alguma coisa acordei. Um faltar que aqui esteve ontem estranho acordou em mim Um novo estranho. Acordei ontem Os mesmos amanhãs. Acordei quando dormi ontem.

Você é a missão.

Deixar de ser ponto de fuga social. Deixar de escoriar pelos quatro mandris. Operar dentro do seu peito uma "vontade bigorna". Jogar o jogo dos fortes, enquanto 'correr' atrás for necessário. Virar purpurina aos olhos dos tristes. Sobrar frente a dor. Comer flores. Sorrir lírios. Respirar oxigênio. Ser gente.

sexta-feira, 10 de março de 2017

Raiada

O corpo pende entre um passo e outros. Envelhece a cidade e o bairro. Onde está a estação? Em uma pequena vila, só há plantações em volta, ou a fábrica onde todos, quase, encaixam seus corpos. Quem de fora fica, espera pelos que de fora vem. Não engane a si mesmo, ainda vivemos sim em uma cidade, ‘velha’. Os anciãos não param de andar, coitados, para poderem estar ao estado de poderem ver os que chegam. Mas os que chegam são os mesmos que aqui estavam. Eles viajaram para o interior de si. Todos os dias, então, esquece-se as redes sociais, os jornais, tv's. Com a esperança de quem em uma rajada mostre-se de volta.

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

De um dia comum, pra outro quase igual. Apenas algumas mulheres em frente ao quartel central - na frente dá Corregedoria dá Polícia Militar que fica há algum tempo, ao lado do quartel em uma espécie de casa, hiperironias, exatamente ao lado do quartel e em uma casa residencial você perguntaria - em um pequeno trecho de asfalto do lado de fora dos portões guaritados e esprimidas ao trânsito. Pleiteiam aumento salarial para seus maridos. Uma pegou a Kombi e colocou a barraca de vender salpicão, uma televisão, cadeiras de praia, guarda chuva e uma panela elétrica para fazer arroz. Meio estranho por que elas bloqueiam a saída de veículos militares, impedindo a ronda extensiva Segundo round A partir daí deflagra-se uma espécie de estado de sítio, guerra civil, mortes e mais mortes brotando no asfalto, nos becos e na escuridão. Dias de medo onde as classe mais pobres lançam-se nas ruas do asfalto, dá zona urbanizada. Jovens vão a praticar crimes, principalmente roubo de carros, assaltos tudo a mão armada.e uma feroz caçada aos desafetos de grupos ligados ao domínio imposto em seus bairros por via de tráfico e dominio espacial. Depois vieram os saques a comércios, pequenos e grandes, como supermercados. A essa altura o Departamento Médico Legal há via subir em 4 dias algo como 2000℅ o número de corpos, que passaram a ocupar o chão da câmara de necrópsia. Todos sem camisa, bermudas de surf, e quase todos morenos, mestiços sim, a parecer descendentes de índios, aliás viviam em lugares que até os dias de hoje encontram-se tribos indígenas, como Caieiras Velha e Pau-brasil. No outro lado dá história, uma sintonia fina com tal desordem. ‘Observe', 'fecha o plano', 'Interna'. Aconteceu uma situação, digamos, única e talvez inimaginável. O salário está defasado? Nem tanto vide situação do nosso vizinho, onde os salários de dezembro estão há serem pagos. Aí o governador ausenta-se, ele um bom negociador, e um xeque mate foi jogado: as mulheres dos próprios aquartela-os. A pergunta que fica: o policial seria obrigado a prender o próprio filho, por que não agir com sua esposa? Sim, ele quer ganhar mais, mas é obrigado a fazê-lo. Ainda assim, o Comando dá PM tenta negociar, depois do Secretário de Segurança tentar, e em último momento os políticos atropelam a negociação.